Mindset

Começar um negócio

As desculpas que te impedem de dar o salto

Queres começar um negócio mas na tua cabeça há pelo menos um milhão de razões para não o fazer. 

Sentires-te apreensivo em dar o mergulho é justificado. Criar um negócio de sucesso não é fácil, mas é possível e tu podes conseguir.

Neste artigo quero falar-te sobre começar um negócio mas vamos ter especial atenção às inúmeras desculpas para não o fazer.

Grande parte desse milhão de razões que arranjaste para não começar um negócio são desculpas. É importante em primeiro lugar desconstruí-las até que deixem de ser desculpas.

O problema de te prenderes às desculpas é o de não avançares com a tua ideia de ter um negócio próprio é estares a impedir-te a ti próprio de viver o teu estilo de vida ideal. Felizmente, começar um negócio não é realmente assim tão difícil. É muito trabalho sem dúvida, mas o teu estilo de vida ideal vale a pena, certo?

Outra coisa que gostava que tivesses em mente: entre começar um negócio e desenvolvê-lo todos falham a dada altura. Entender que errar faz parte da jornada do sucesso é um dos mindsets mais importantes.

E como disse Wayne Gretzky: “Falhas 100% dos tiros que nunca atiras”.

# 1: Tenho medo de começar um negócio 

Se não tivesses medo algum seria de estranhar e muito provavelmente podia até indicar que não te estás a esforçar o suficiente. Digo-te porquê; porque os empreendedores têm muitas vezes medo (quem não tem!) e porque o medo é de certa maneira bom. Eu sei, parece estranho, mas é verdade. Ter algum medo mantém-te alerta.

Poderás ter medo porque não tens sequer uma ideia de negócio. Não tens de inventar a pólvora mas também não deves copiar outros. 

Experimenta pesquisar “ideias de negócios” num motor de pesquisa qualquer. Vais surpreender-te com a quantidade de ideias disponíveis na internet. 

# 1.1 Não tenho uma ideia de negócio de sucesso

Agora qual escolher perguntas tu. Nem todas as ideias serão as melhores para ti. Podes começar pelas que estiverem relacionadas com uma competência tua. Dou-te alguns exemplos: 

  • Gostas de cozinhar e todos, família e amigos, adoram os teus pratos. Porque não começar um negócio em torno da restauração?
  • Tens algumas competências tecnológicas e frequentemente te pedem para que resolvas problemas em computadores e telemóveis. Num mundo onde a tecnologia impera de certeza que não te irá faltar trabalho se avançares com um serviço de reparação. 

Como vês a escolha não tem de ser assim tão difícil. 

# 1.2. Não sou especialista em nada e não quero mentir ao meu público

Não precisas de ser nem de o fazer.

“Eu nunca tirei um curso de reparação de telemóveis e computadores!”, dizes tu.

Imaginemos, por um momento, que numa escala de conhecimento de 1 a 10 tu és um “2”. Um “2” bastante eficiente, por isso vá, és um “3”. 

Agora pensa em quantas pessoas são um “2” ou um “1” no mesmo espectro. Ou mesmo um “zero”.

Para eles, tu és um especialista!

Sabes muito mais do que eles e, provavelmente, eles estarão dispostos a pagar-te para tratares de tudo o que não entendem nem um pouco sobre o  problema que têm.

O verdadeiro segredo para fazer este modelo de espectro funcionar é continuar a subir no espectro.

Não nos podemos contentar em ser um “3” para o resto da vida senão  ficaremos sempre presos a fazer trabalho de níveis inferiores. Como regra geral, quanto mais baixo for o espectro, menos poderás cobrar e mais difícil será encontrar clientes de qualidade.

Por isso, sobe na escala. Melhora.

À medida que te tornas um “5”, faz um trabalho para clientes de nível 3 e 4.

Se fores um “9,” vais conseguir clientes para o nível 6, 7, ou 8.

Há muitas formas de contornar esta questão das competências. Podes:

  1.  Aprender as competências que te faltam.  Não é tão difícil como possas pensar. 
  1. Se não quiseres aprender ou não tiveres tempo, pode associar-te a alguém para trocar serviços. Por exemplo, tu divulgas o negócio e angarias clientes e o teu parceiro participa nas questões mais técnicas do negócio.

Não tens de ser um perito na área, nem sequer tens de aparentar sê-lo, deves ser honesto com o teu público. Não vais publicitar ou aceitar um trabalho que sabes que não vais conseguir fazer. A tua reputação iria por água abaixo. Mas deves focar-te nas tuas reais competências e valorizá-las. Não tens ideia da quantidade de pessoas que me procuram para que as ajudem, pessoas com competências que não sabem sequer que têm! São tantas! 

Por isso, pára de te desculpar. 

Se tens medo e nem sabes porquê, a culpa é do teu cérebro reptiliano.

O teu cérebro reptiliano quer proteger-te daquilo que não conhece e que considera perigoso. Controla os nossos padrões de comportamento inatos e automáticos de autopreservação, que asseguram a nossa sobrevivência e a da nossa espécie.

O cérebro reptiliano não é uma coisa má, de forma alguma. É sempre uma boa ideia ter um pouco de auto-conhecimento, compreender como as pessoas pensam e estar consciente do seu próprio comportamento.

Quando compreendemos o nosso processo de pensamento, podemos fazer melhores escolhas.

Tomar consciência de crenças limitantes, através da auto-conferência de pensamentos, foco e rotinas. A nossa realidade corresponde às nossas expectativas e atenção. Pensar que algo é suficientemente bom assim como está, ou que é impossível, ou ainda que é o melhor que pode ser, impede-nos de nos esforçarmos por mais.

“Movo-me na minha rotina e mudo o meu contexto”: Não podes esperar mudanças na tua realidade se não estiveres disposto a mudar rotinas, de ação ou pensamento. 

O crescimento empresarial exige a destruição de zonas de conforto e o aumento constante do leque de prospectos.

O crescimento não acontece no conforto. A mudança não é fácil. Todos os medos, inseguranças, ansiedades vêm apressados para salvar a zona de conforto de explodir. Por vezes, leva meses de esforço ativo antes de se sentir qualquer progresso. 

Quando o crescimento acontece, energiza a nossa vida e os nossos negócios. A melhoria contínua dá alento todas as manhãs para começar o dia e vale a pena todo o trabalho árduo. Para não mencionar o sucesso financeiro que daí advém e que melhora a segurança e a qualidade de vida de nós próprios e de quem nos rodeia, equipa de trabalho, família e amigos.

# 1.3. Medo de falhar 

Normalmente vemos os nossos fracassos mais intensamente do que em qualquer outra pessoa, por isso agora precisamos de aprender a separar o nosso empreendedorismo da nossa identidade pessoal. Mesmo que falhemos no negócio, isso não nos define.

Muitos dos empresários mais bem sucedidos do mundo ultrapassaram o fracasso. Steven Spielberg foi rejeitado três vezes da escola de cinema antes de finalmente conseguir uma rodagem, e é amplamente considerado um dos maiores realizadores do nosso tempo.

Encontra formas que te ajudem a desligar emocionalmente do teu negócio.

Isto pode parecer estranho, mas descobri que tenho muito menos medo de falhar nos negócios se usar técnicas que me ajudem a desligar-me emocionalmente. 

De uma perspectiva psicológica, se mantiveres alguma distância emocional do teu negócio, vais conseguir remover algum do medo associado a ele. 

Esta distância não significa eliminar a paixão ou o compromisso que temos com o projecto.  Significa simplesmente, delimitar entre o que é negócio e o que é pessoal e aprendermos como nos identificarmos para além do nosso trabalho.

# 2. Faltam-me competências digitais para começar um negócio online

Vivemos na melhor altura para começar um negócio online. Sabes porquê? 

Porque não precisas de ser um engenheiro informático, nem um especialista em design, tudo o que precisas de saber está disponível na internet em linguagem simples para principiantes. 

Antes de caíres no erro de te centrares naquilo que não sabes, centra-te no que podes vir a saber.

Existem tutoriais disponíveis em artigos como este que estou a escrever ou em vídeos, a explicar temas passo-a-passo. Basta pesquisares por um tema no Google ou Youtube.

Existem também ferramentas de edição, publicação, criação de conteúdo, venda online desde as mais simples às mais complexas, muitas delas com versões gratuitas ou períodos experimentais.


Para começares a vender produtos ou serviços online basta comprares um “nome” ou domínio na internet, como é comumente chamado, e instalares o WordPress por exemplo, que é uma ferramenta simples de utilizar.

Também tens outras ferramentas como o System.io que é um programa tudo em 1. Não te vou dizer que não requer estudo mas é acessível e integra todas as vertentes que deves explorar num negócio online: prospecção e angariação de clientes, funis de venda, criação de conteúdo, campanhas por email, entre outros. 

Por fim, podes sempre delegar para outros determinadas áreas do teu negócio nas quais não te sentes tão à vontade. Existem plataforma como o Fiverr com uma base de pessoas de áreas diversas dispostas a fazer trabalhos pontuais.

# 3 Não tenho tempo para começar um negócio

Se calhar esta deveria ter sido a desculpa número 1. 

Dizeres que não tens tempo suficiente é realmente uma forma de dizer que algo não é uma grande prioridade para ti.

Se quiseres ter sucesso no seu novo negócio, é melhor atribuires-lhe uma prioridade muito alta. 

Se não podes dar-te ao luxo de deixar o teu emprego atual mas queres libertar algum tempo para trabalhar no teu novo negócio, podes procurar reduzir outro tipo de atividades. Isso poderia ser um grande compromisso entre rendimento e tempo para o negócio.

Todos temos exatamente a mesma quantidade de tempo. 24 horas num dia, 7 dias numa semana, 365 dias num ano.

Como passamos esse tempo é o que nos torna diferentes.

É certo que todos nós temos circunstâncias muito diferentes que consomem o nosso tempo. Alguns têm realidades muito tristes, fatores sociais ou físicos saem fora do seu campo de ação e que condicionam as suas vidas, outros não têm qualquer alicerce sólido a partir do qual construir as suas vidas.

Fora isso, trata-se de fazer escolhas sobre as vossas prioridades.

Quando dizes “Não tenho tempo para X”, o que estás realmente a dizer é que “X” não é suficientemente importante na tua lista de prioridades.

Alguns exemplos:

  1. Não temos tempo para fazer exercício 3 vezes por semana, ou preferimos passar esse tempo agarrados a um computador, a vaguear na internet, ou a ver séries na TV?
  2. Não temos tempo para fazer exercício 3 vezes por semana, ou preferimos passar esse tempo agarrados a um computador, a vaguear na internet, ou a ver séries na TV?
  3. Não temos tempo para fazer exercício 3 vezes por semana, ou preferimos passar esse tempo agarrados a um computador, a vaguear na internet, ou a ver séries na TV?

Todos temos a mesma quantidade de tempo. Arranjamos tempo para as coisas de que mais gostamos. Faz a tua lista de prioridades e gasta-a com sensatez.

Escrevi um artigo há um tempo atrás sobre como ser mais produtivo e consequentemente fazer melhor uso do tempo que temos disponível. Neste artigo vais encontrar estratégias para gastares o teu tempo de forma mais consciente e voltada para resultados. 

# 4 Não tenho dinheiro para começar o meu negócio online

Em termos simples, nunca houve uma altura em que o custo de lançar uma ideia tenha sido tão barato.

Tanto o desenvolvimento do teu produto como a venda no mercado aberto requerem pouco ou nenhum dinheiro para o fazer. Em vez disso, a tua moeda será tempo, paciência e persistência.

Podes começar um negócio com menos de 100 euros. Podes até nem ter sequer ainda um produto acabado para vender mas nada te impede de avançar primeiro com uma prospecção de mercado sobre a necessidade real desse mesmo produto. 

  1. Quem compraria este produto? 
  2. Quem compraria este produto? 
  3. Quem compraria este produto? 

Se a resposta é positiva avanças, se for negativa reformulas. 

Para te ajudar existem serviços de custo zero para promoveres o teu negócio e ganhares dinheiro com ele:

  1. Redes Sociais: são gratuitas. Podes publicar conteúdo gratuito para atrair prospetos e criar uma relação com eles.
  1. Site Worpress: tens a opção de instalação gratuita e vários temas gratuitos que servem bem para começar.
  1. Canva: é uma ferramenta online que te permite criar conteúdo atrativo para o teu público sem que para isso tenhas de ter conhecimentos de design. 
  1. Vídeos: podes perfeitamente fazê-los no teu telemóvel, sem a necessidade de possuir equipamento profissional
  1. Youcut: é um exemplo de uma aplicação gratuita para edição de vídeo, onde podes colocar texto e efeitos.

Existem imensas ferramentas online, algumas poderão não ser gratuitas mas por norma todas oferecem um período de utilização gratuita que te permite usufruir temporariamente das suas funcionalidades.

# 5 Tenho medo que não funcione

Se pensas lançar o teu negócio sozinho compreendo que que tenhas dúvidas sobre o seu sucesso. 

Provavelmente estás demasiado centrado nas tuas dificuldades, na tua falta de conhecimentos, na realidade que te rodeia, nas expectativas dos outros. 

Sozinho, pode ser um caminho mais penoso, mais demorado e a garantia de seres bem sucedido a curto-médio prazo diminui. 

No entanto, se acreditas que o teu produto ou serviço vai responder aos principais problemas da tua audiência, vais ter sucesso. Aposta em ti e na tua formação. 

Como já falei aqui, encontras muita informação na internet, alguma gratuita outra paga, mas mesmo a paga é, muitas vezes, um pequeno investimento perante os resultados que desse investimento podem surgir:

  1. Colocas o teu negócio em marcha mais cedo
  2. Começas a obter resultados mais rapidamente
  3. Evitas alguns erros habituais em principiantes

Em jeito de conclusão

Ter medo é normal e até benéfico porque te torna vigilante e não te permite tomar nada por garantido. O sucesso só é garantido enquanto não paramos de trabalhar para ele. 

Corta em algumas atividades que te roubam tempo para ganhares espaço para desenvolver o teu negócio. Não tens de te isolar completamente, a componente social é muito importante para nós humanos, mas gere o teu tempo de forma a que a tua prioridade de começar um negócio ser bem sucedido, nunca deixe de o ser.

O que não sabes, só depende de ti aprender. Mune-te de conhecimento e nunca deixes de estudar e investir. Inscreve-te num curso, lê, pesquisa.

Quando for possível e vantajoso, procura parceiros de negócios. Delega trabalho e usufrui das vantagens de trabalhar em equipa. 

Segue-me no Instagram @business_mais para te manteres a par das novidades.

Tens algo que queiras partilhar a respeito desta temática?

Diz-me, deixando um comentário em baixo!

Author


Avatar