7 - 2021 Tecnicas de Vendas, venderor, comercial matiassoares.com

Good Contents Are Everywhere, But Here, We Deliver The Best of The Best.Please Hold on!
Data is Loading...
Your address will show here +12 34 56 78
Competências, Tecnicas de Venda

Neste artigo vais ficar a conhecer várias ferramentas e técnicas de marketing digital que podes colocar à tua disposição para implementar para potenciar o sucesso do teu negócio. Mas antes demais, vou partir do princípio que és novo nesta matéria e falar-te um pouco do que é, afinal, isto do marketing digital.

O que é Marketing Digital?

Podemos dizer que marketing digital é, antes de tudo, um ato de comunicação realizado num ambiente digital. É o ato de promover e vender produtos e serviços através de estratégias de marketing na WEB, tais como: marketing de redes sociais, marketing de pesquisa e e-mail marketing.

Num momento em que a era digital domina a atualidade, o e-marketing tornou-se um meio de comunicação essencial.  E outro aspeto a salientar é que, no momento atual, já não é preciso ser-se uma grande empresa nem fazer um grande investimento para marcar presença online. No entanto, requer algum trabalho.

Hoje, mais do que nunca, as empresas precisam de cuidar da sua reputação digital e estabelecer uma interação permanente com os seus clientes, se quiserem ter um lugar de destaque.

Hoje em dia, os teus clientes estão online: absorvidos pelas redes sociais, mantendo-se atualizados em sites de notícias e blogues, e pesquisando online quando têm uma necessidade.

É por esta razão que no marketing digital é importante fazer a oferta certa, na altura certa e no local certo.

O marketing digital coloca-te nos mesmos canais digitais por onde andam os teus potenciais clientes, para que estes possam conhecer o que tens para lhes oferecer, aprender mais sobre a tua empresa, e até fazer perguntas para saber mais sobre os teus produtos ou serviços.

Existem diferentes técnicas de marketing digital que precisarás de aprender. Mas todas elas trabalham em conjunto para criar uma base para o teu negócio: atrair potenciais clientes, fomentar relações e fazer ofertas que o teu público apreciará e as quais responderá.

Os principais objetivos do marketing digital

As várias disciplinas do marketing digital têm como principal objetivo desenvolver a tua relação com os clientes.

O intento é optimizar a notoriedade da tua marca e fazer crescer o teu negócio. É importante que disponibilizes informação valiosa ao teu público-alvo para aumentar o tráfego e gerar conversões.

Graças a várias técnicas de SEO – Search Engine Optimization -, podes tornar a informação que partilhas, mais atraente, com artigos bem posicionados nos motores de busca e por conseguinte aumentas a probabilidade de os teus potenciais clientes descobrirem a tua empresa. Em certos contextos, podes usar esta influência para desencadear uma necessidade em potenciais clientes futuros.

Clica para saber mais sobre conteúdo SEO

Para otimizar as tuas hipóteses de alcançar os teus objetivos, o ideal é adotar uma estratégia que utilize vários canais digitais.

Porquê criar uma estratégia de marketing digital?

De facto, as empresas devem repensar a sua estratégia global para integrar os novos códigos digitais. A implementação de uma campanha de marketing digital é uma fase crucial de desenvolvimento, uma vez que permite à empresa dar a conhecer eficazmente a sua atividade na web e nas redes sociais. 

Com isto em mente, a tua empresa precisa de um plano de marketing digital? A resposta é um retumbante SIM! Precisas de o fazer para:

  1. Atrair, convencer, converter e fazer os teus clientes apaixonarem-se pelo teu produto ou serviço.  
  2. Planear todas as estratégias e ações para atingir o teu cliente alvo.
  3. Segmentar as tuas campanhas de marketing digital para fornecer valor em cada etapa.

Como fazer Marketing Digital?

Começa por criar um plano de marketing digital. Basicamente é um documento que contém os detalhes de todo o planeamento das tuas campanhas ou ações de marketing digital. Neste plano vamos detalhar, entre outras coisas:

– Objetivos empresariais de curto, médio e longo prazo.

– As estratégias para atingir os objetivos a nível digital.

– Os canais a utilizar.

– Os planos de ação e de desenvolvimento.

– O investimento e o orçamento. 

– O calendário e o roteiro.

5 passos para um plano de marketing digital

1. Analisa a tua situação atual usando o modelo SWOT

O “S” vem de Strengths em inglês e diz respeito aos “Pontos Fortes” da tua empresa. Alguns exemplos:

  1. Que elementos positivos têm impulsionado as vendas?
  2. Quais as vantagens que a tua empresa apresenta face aos concorrentes diretos?
  3. De que recursos dispõe a empresa? Logísticos, humanos e materiais. 

O “W” vem do inglês Weakness, e são os “Pontos Fracos” da tua empresa, que deverás melhorar:

  • Que fatores internos afetam negativamente as vendas e os processos?
  • Que fraquezas têm sido evidenciadas por agentes externos? Exemplo: demora na entrega dos produtos ao cliente. 

O “O”, do inglês Opportunities, significa “Oportunidades”. No mercado no qual a tua empresa atua:

  • Que tendências existem no mercado em que operas que podem ser janelas de oportunidade para desenvolver produtos ou adequar os que já existem?
  • Que mudanças tecnológicas surgiram que possam ajudar a melhorar a qualidade dos produtos desenvolvidos na tua empresa?

E por fim, o “T”, do inglês Threats, ou seja, “Ameaças”. No mercado atual:

  • O que é que os teus concorrentes têm andado a fazer que possa afetar a tua taxa de conversão?
  • Que dificuldades a tua empresa tem experienciado?

2. Define os objetivos da tua estratégia de marketing digital – Objetivos SMART

Com as conclusões a que chegaste ao utilizar o método de análise SWOT, já estarás em condições de definir os teus objetivos empresariais. E então o que te vou explicar de seguida é como definir um bom objetivo, um objetivo SMART.

Traduzido do inglês, SMART é o acrônimo para: específico, mensurável, atingível, relevante e temporal.

Definir objetivos é uma tarefa por si só complexa, mas de extrema importância para nos mantermos motivados, focados e em constante evolução!

Um objetivo é SMART quando:

  1. Temporal. Ao ser definido uma data limite, ou um período de tempo para a sua concretização, é possível perceber a evolução do teu trabalho e o quão perto ou longe estás de atingir os resultados que desejas. Também é uma boa estratégia para evitar a procrastinação e o “fica para depois”.
  1. Mensurável.  Quando quantificas os resultados que pretendes atingir sabes exatamente o que queres alcançar. 
  1. Atingível. Defines objetivos com base na realidade e já com algumas ideias em mente de como o atingir. 
  1. Relevante. A sua ideia é produzir impacto real. Poderás ter como objectivo, aumentar o número de seguidores para introduzir um novo produto ou, simplesmente, promover a interação entre a empresa e os seus potenciais clientes.
  1. Específico. Um objetivo vago, e amplo, será mais difícil de atingir.

(No artigo, 7 dicas para ser produtivo)

3. Define a tua estratégia de marketing digital:

  1. Mercado-alvo: a quem se dirige os teus produtos? Sugiro-te a leitura deste artigo Quem é o teu cliente ideal, para identificares o teu cliente-avatar. 
  1. Posicionamento: Para conseguir um posicionamento adequado, é crucial que a tua proposta de valor seja muito clara. Em suma, é a razão pela qual o consumidor deve escolher-te a ti e não a concorrência. Deves apresentar a tua proposta adequadamente nos canais onde o teu público está presente (redes sociais, blogs, e-mail marketing, e muito mais).
  1. Marketing de conteúdo: só este ponto dava pano para mangas. Na sua definição, marketing de conteúdo é o processo de criação de conteúdo e consequente publicação de forma consistente sobre o que o teu o público quer consumir. Ou seja, artigos que acrescentem valor, artigos de qualidade. Esta é uma formas mais consistentes de gerar mais tráfego e aumentar a taxa de conversão. 
Clica para saber mais sobre Marketing de Conteúdo

4. Define os canais/ ferramentas digitais que vais utilizar e de que forma

Hoje em dia, considerando que o número de canais digitais a gerir se está a multiplicar e a quantidade de informação que obtemos sobre os nossos clientes está a aumentar, é fundamental teres uma estratégia Web (campanhas de e-mail marketing, meios de comunicação social, CRM, otimização da web, estratégias SEO, publicidade online, etc).

4.1. Um Website: a base de qualquer estratégia digital 

O “passa a palavra”, os meios de comunicação social, ou um motor de busca podem ser a forma como os teus potenciais clientes ouvem falar pela primeira vez da existência da tua empresa. 

Ainda assim, em última análise, a maioria dos consumidores explorará um website antes de visitarem pessoalmente uma empresa.

Se o teu website não for user friendly, ou seja, intuitivo, organizado e que funcione em vários dispositivos, pc, telemóvel, tablet, ou se for difícil de encontrar, estarás a encaminhar os potenciais consumidores para a concorrência (aqueles que têm um website grande e fácil de usar!). 

Certifica-te que quando um potencial cliente se deparar com o teu website, ele terá uma grande primeira impressão.

4.2. Landing pages e lead magnets

  • Landing page: é uma página web de aterragem, o local onde o cliente chega quando quer aceder a um site, por exemplo. Nessa página de aterragem vai encontrar o teu lead magnet que pode ser, por exemplo, um formulário (de subscrição de newsletter ou cupão de desconto) no qual deverá preencher os seus dados. 
  • Lead: é aquele cliente cujos dados, nome e e-mail, conseguiste captar
  • Lead Magnet: é a forma como vais captar os dados de um cliente para ele se tornar um lead

Se pretendes ser bem sucedido na aquisição de clientes online, então terás de construir uma lista de correio eletrónico. E para construir eficazmente uma lista de correio eletrónico, precisas de um lead magnet que leve à efetiva geração de leads.

Um lead magnet é uma oferta que podes promover a potenciais clientes em troca do seu endereço eletrónico e talvez de outras formas de informação (tais como nome e números de telefone).

Um bom lead magnet tem de dar uma resposta de forma breve a um problema específico da tua audiência.

Alguns exemplos de lead magnets: amostras, guias digitais, vídeos instrutivos, ofertas, cupões de desconto, etc.

Um bom lead magnet deve obedecer a pelo menos duas regras:

  1. Alto Valor Percebido: Dependendo do tipo de mercado em que te encontras, o teu lead magnet deve ser visto como algo altamente valioso (ou melhor ainda, deve ter um elevado valor real).
  1. Gratificação instantânea: O teu público está constantemente à procura de uma solução imediata para o seu problema. Se o teu lead magnet conseguir preencher essa lacuna, estarás a construir uma lista de correio eletrónico num instante.

Quando o teu público consome o teu lead magnet, a probabilidade de estar mais convencido que deve comprar na tua empresa, em vez de se dirigir aos teus concorrentes, aumenta.

4.3. Publicidade online e direcionada

A publicidade directa é uma estratégia que visa atingir os consumidores sem necessidade de algum tipo de intermediário para estabelecer a ligação.

Um dos tipos de publicidade direta mais comummente reconhecidos é o correio direto. A publicidade por correio eletrónico envolve a entrega de uma solicitação a um potencial comprador através de correio eletrónico direto ao consumidor. Normalmente, o consumidor tem a oportunidade de ser redirecionado para um website para saber mais sobre o produto, ou pode ir diretamente para uma página web e fazer uma encomenda.

4.3.1. E-mail Marketing

O e-mail marketing permite-lhe segmentar os seus clientes em diferentes listas com base nas suas preferências para enviar conteúdos altamente personalizados. Desde elaborar a linha de assunto perfeita a cuidadosamente selecionar imagens que ressoam com o teu cliente, assim como criar conteúdos valiosos que ajudam o teu público.

O e-mail marketing é o canal perfeito para conduzir o envolvimento.

É um tipo de marketing na Web que ocorre quando uma empresa envia mensagens ou campanhas promocionais a grupos de pessoas por e-mail. Normalmente, estas mensagens contêm anúncios, mensagens comerciais, ou uma CTA – Call to Action.

Qualquer tipo de e-mail com o referido conteúdo pode ser considerado e-mail marketing e o seu objetivo é adquirir novos clientes, construir ou melhorar a relação de confiança e lealdade de uma empresa com os seus clientes atuais.

4.3.2. Anúncios no Facebook

Os anúncios no Facebook são um excelente exemplo da prática de publicidade em redes sociais. Com o número mais elevado de utilizadores mensais ativos de qualquer rede social no mundo, o Facebook tornou-se um elemento altamente competitivo, e potencialmente lucrativo, em muitas estratégias de publicidade digital de empresas.

A publicidade paga em redes sociais ajuda os utilizadores a encontrar negócios com base nas coisas em que estão interessados e nas formas como se comportam online.

As empresas e comerciantes que experimentam os anúncios do Facebook ficam muitas vezes impressionados com a extensão das suas opções de targeting e customização, ferramentas que têm à sua disposição para criar anúncios apelativos e cativantes. É muito importante salientar também que te permite distinguir os anúncios com melhor desempenho dos piores e descobrir reações negativas. Se identificares os motivos para tais reações vais conseguir trabalhar melhor a forma como comunicas o teu produto ou serviço. 

Outro ponto importante na publicidade no Facebook é que podes utilizar o retargeting que não é nem mais nem menos que a prática de mostrar anúncios a pessoas que já visitaram o teu site.

4.3.3. Google Ads

O Google Ads, anteriormente Google Adwords, é a plataforma de publicidade da Google e lidera o mercado dos media online.

Destaca-se pela representatividade que todos conhecemos mas também porque através do Ads as empresas que anunciam podem se destacar para um público super segmentado.

Quando pagas por publicidade no Google Ads não é só para o teu negócio aparecer em todo o lado.  Estarás a investir num mercado-alvo qualificado e que tem interesse pelo teu negócio.

Melhor que ninguém, a Google, através do Guia de utilização do Google Ads, explica-te o que precisas fazer para começar e que estratégias usar para obter sucesso nas tuas campanhas. 

4.3.4. Influencers

Segundo o BusinessDictionary.com, os influenciadores são “indivíduos que têm o poder de afetar as decisões de compra de outros devido à sua (real ou percebida) autoridade, conhecimento, posição ou relação”.

Agora imagina que  alguém com um público de meio milhão de pessoas e uma influência tão incrível sobre o teu público-alvo, partilha uma publicação tua no seu blogue ou na sua página do Facebook? Ou que endossa publicamente o seu novo produto ou serviço?

Muitos negócio recorrem hoje aos influenciadores para promover os seus produtos e serviços.

5. Analisa a performance do teu plano através de KPIs

O trabalho não acaba depois de se ter concebido e implementado uma ou mais estratégias de marketing digital. O passo seguinte é um dos mais importantes: analisar os resultados. A análise de dados transformou-se num pilar para otimizar com sucesso o desempenho e os gastos do marketing digital.

Temos de medir cada ação utilizando KPIs que são basicamente indicadores-chave de performance. Alguns exemplos de KPIs:

  • ROI (Retorno sobre Investimento): Melhorei o desempenho financeiro da minha empresa?
  • Quantidade de clientes: Aumentei o número efetivo de clientes?
  • Retenção de cliente: Os meu clientes voltam a comprar?
  • Eficiência e Qualidade: Implementei medidas que agilizam o tempo de produção e trouxeram melhorias nos processos de fabrico?

Medir a eficácia das estratégias e atividades que implementamos no nosso marketing digital ajudar-nos-á a corrigir o que não funciona para atingir os objetivos que estabelecemos. Por isso, certifica-te de que dispões de um sistema eficaz de visualização de dados em tempo real.

Conclusão

Hoje em dia, um negócio que não está online é como se não existisse. Passa a ser um negócio que se sujeita aos “clientes de passagem” e a “clientes curiosos” que raramente compram.

Se antigamente, se distribuíam folhetos na rua como forma de publicidade, hoje basta pegar no nosso computador ou mesmo no telemóvel e com alguns cliques conseguimos levar o nosso trabalho a uma larga escala de pessoas independentemente da sua localização. Todas elas passam a ser potenciais clientes.

Segue-me no Instagram @business_mais para te manteres a par das novidades.

Tens algo que queiras partilhar a respeito desta temática?

Diz-me, deixando um comentário em baixo!

0

Competências

Se achas que escrever um artigo é difícil então imagina o que é escrever um artigo sobre como escrever um artigo para SEO!

Um artigo pensado para Search Engine Optimization (SEO) é um artigo que é escrito, estruturado e formatado para se tornar mais competitivo com outros na mesma área com o objetivo último de atingir o topo nas páginas de resultados dos motores de pesquisa.

Neste artigo, para além de esclarecer sobre o que é um artigo SEO – friendly, vou dar-te a conhecer técnicas e ferramentas que te serão úteis para o fazer.

Clica para saber mais sobre Marketing de Conteúdo


Decerto que já te viste confrontado/a com uma página em branco, um artigo a ter de sair dali e a cabeça a não querer colaborar. Claro que podíamos escrever sobre qualquer coisa, sem estrutura, nem grandes preocupações, mas também onde é que isso nos iria levar? A lado nenhum, pois está claro. 

Existem imensas, mas estas são as principais vantagens de escrever um artigo SEO – friendly:

  • Poupas tempo ao teu futuro-eu: podes obter resultados a longo prazo quando o tráfego chega ao teu site todos os meses, sem investires muito na promoção desse conteúdo. 
  • Crias conteúdos verdadeiramente valiosos: respondes a perguntas que o teu público realmente faz. 
  • Atrais novas audiências: as pessoas que encontraram a resposta à sua pergunta no teu artigo podem tornar-se uma audiência leal e até embaixadores da tua marca.

Se precisas de saber como escrever um artigo SEO de sucesso, este artigo é para ti. E para ser ainda melhor, é um guia, ou seja, é prático e simples.

O que é conteúdo SEO

Conteúdo SEO refere-se à criação de conteúdo que ajuda as tuas páginas web a ocupar um lugar de destaque nos motores de busca. Tem tudo a ver com a escrita e estruturação de conteúdo. 

O conteúdo SEO é importante porque os motores de busca, como o Google, leem as tuas páginas na Internet. As palavras que utilizas ao escrever um texto para o teu website/ blog determinam se este será ou não bem classificado nas suas páginas de resultados. 

Deves ter em consideração duas coisas para produzir conteúdo que faça com que o teu blog seja bem classificado: palavras-chave e copywriting (escrita persuasiva). 

Até podes ter um website/ blog muito bonito e apelativo, mas se não tiveres conteúdo de qualidade o teu site não tem qualquer hipótese nos motores de busca.

Que tipo de conteúdo pode ser SEO 

Qualquer tipo de conteúdo pode ser “conteúdo SEO”: páginas de produtos, landing pages, ferramentas interativas e até vídeos. Mas quando a maioria das pessoas fala de “conteúdo SEO”, está a falar de publicações/ artigos em blogs.

Por essa razão, é que nos vamos centrar neste guia em como escrever bem um artigo para Search Engine Optimization – SEO.

Passo-a-passo para escrever um artigo SEO de sucesso

1. Encontrar um tópico de interesse que gere tráfego

Antes mesmo de pensares em colocar a caneta no papel, é necessário que encontres um tópico relevante com “potencial de tráfego“.

Se não sabes que tópico abordar, a resposta está nos teus clientes. Pensa em temas amplos que os teus potenciais clientes possam estar à procura. Questões levantadas por eles, ou sugestões, também serão um ótimo tema para os teus artigos. 

Dou-te um exemplo prático: imagina que vendes produtos de panificação, online. Um tema para escreveres um bom artigo SEO pode passar por receitas de produtos de panificação, revisões de utensílios de cozinha, ou outras matérias relacionadas com panificação.

2. Pesquisar palavras-chave sobre o tópico

Cada estratégia de SEO de conteúdo deve começar com uma pesquisa de palavras-chave sobre o tópico escolhido. Serão essas palavras que terás que introduzir ao longo do texto do teu artigo. Tens de saber que palavras-chave o teu público pesquisa, no tema que escolheste, se quiseres gerar tráfego. 

Poderás utilizar plataformas especialistas na sugestão de tópicos e palavras-chave como a de Neil Patel. Poderás adquirir uma subscrição mensal/ anual ou então usufruir das pesquisar gratuitas limitadas que o site te oferece.

Voltando ao nosso exemplo sobre panificação e utilizando a aplicação Ubersuggest, algumas palavras-chave mais procuradas pelos utilizadores de motores de busca são: o que é panificação; confeitaria e panificação; panificação e confeitaria profissionais; produtos para panificação; panificação curso; panificação industrial; panificação e viennoiserie, etc. Estes são então exemplos de palavras-chave que poderás utilizar no teu texto para que este chegue a uma melhor posição no ranking.

Não terás dificuldade em construir uma lista de 5 a 10 palavras-chave, as quais poderás categorizar entre principais e secundárias consoante o foco do teu artigo. 

A tua palavra-chave principal deve aparecer no título do teu artigo mas também no primeiro parágrafo. Idealmente, deves colocá-la na primeira frase.

Desta forma, o Google poderá notar a correlação óbvia entre os dois, título e introdução mas atenção isto não é a 100%, ou seja, pode não ser suficiente.  Se a tua palavra-chave principal estiver no título, primeiro parágrafo e for repetida inúmeras vezes ao longo do artigo, isto sim, já é suficiente para que o Google tenha a certeza de que esta é a tua palavra-chave/ frase principal.

3. Escrever o artigo

Como referi na introdução deste artigo, escrever um artigo SEO de sucesso tem tudo a ver com a escrita e estruturação de conteúdo. Nos próximos pontos vou ensinar-te técnicas para estruturares de forma correta o conteúdo do teu artigo SEO.

Estruturar o texto de um artigo SEO

É importante que conheças o comportamento da maior parte das pessoas quando se depara com um artigo de assunto de interesse para elas. Antes de decidirem se devem ou não ler algo, as pessoas tendem a passar os olhos por um texto, como se fizessem um scan. Querem saber do que se trata antes de o começarem a ler até ao fim.

Muito provavelmente já se passou o mesmo contigo. Encontraste um artigo e começaste por olhar para os títulos e subtítulos, tal como para o primeiro parágrafo de um texto, para determinar se esse mesmo artigo era interessante para ti. 

Por isso mesmo, os títulos no corpo de texto de um bom artigo SEO devem ser atrativos e devem indicar claramente o conteúdo no parágrafo abaixo do mesmo. Formata o teu cabeçalho para H1 e coloca-o acima de cada parágrafo (ou acima de um grupo de parágrafos que sejam tematicamente semelhantes).

Para facilitar a leitura do teu artigo tenta não criar parágrafos muito extensos. Não te esqueças que muitos dos teus leitores poderão estar a utilizar um telemóvel, tablet, notebook ou um computador para ler o teu artigo. Por isso mantém parágrafos pequenos, bem divididos para facilitar o seu consumo nos mais diversos dispositivos. 

Deves procurar preservar a fluidez do texto. Deixa o leitor “respirar”, não escrevas frases excessivamente longas e se a criação de tópicos ajudar, utiliza-os para melhor visualização ou compartimentação do texto. 

Otimizar a introdução

  • Coloca as principais palavras-chave nas duas primeiras frases da tua introdução porque são apenas as duas primeiras frases que normalmente aparecem nos resultados dos motores de busca.
  • Repete as tuas palavras-chave algumas vezes: na introdução umas 2-3 vezes. Não exageres mas também não peques por defeito. Podes querer posicionar bem o teu artigo mas não deixes que isso afete a leitura do artigo que se quer fluída. E como os motores de busca não gostam da excessiva repetição de palavras-chave, corres o risco de te ‘des-indexar’ o artigo, tornando-o difícil de encontrar online.
  • Ainda na introdução, inclui os pontos-chave do teu artigo, que deves expressar de forma clara e concisa.

Títulos de artigos que os motores de busca mais simpatizam

Para teres aquele título excepcional que prende o olhar dos teus potenciais clientes, e que é bem classificado pelos motores de busca, deves:

  • Criar um H1 único. Isto ajudará a evitar que os visitantes se percam entre páginas semelhantes no teu site.
  • Incluir no título 1-2 palavras-chave relacionadas com o teu tópico
  • Descrever o que é discutido no corpo do texto. O H1 da página deve descrever o conteúdo, caso contrário o Google considera a discrepância como sendo de baixa qualidade de conteúdo.
  • Criar um título não muito longo: considera a hipótese de mover uma frase do título para a primeira ou segunda frase da tua introdução, caso este seja muito longo.
  • Introduzir um número: As 10 melhores receitas para a batedeira modelo XYZ, por exemplo. No primeiro parágrafo poderás colocar algo como: A marca XPTO, há 20 anos no mercado, foi mais longe e lançou este mês a nova batedeira XYZ. Neste artigo vou apresentar-lhe as 10 melhores receitas que lhe vão permitir usar o máximo potencial desta excepcional máquina. 
  • Utilizar palavras como: “como”, “porquê”, “o quê”, e “onde”. Desta forma, ajudarás as pessoas a compreender o que encontrarão na página abaixo – guias e artigos de “como” também conduzem 2x mais tráfego em comparação com outros tipos.

Tamanho do artigo

O bom senso impera. Não deixes nada por dizer mas também não enchas o teu artigo com “palha” para aumentar o seu tamanho. 

Existem estudos que indicam que o Google, enquanto motor de busca, gosta de artigos com uma contagem média de palavras na ordem das 1500.

Se chegaste às 1000 e sentes que não existe mais nada de valor que possas acrescentar, é preferível dar o artigo por concluído do que tentar tirar mais 500 palavras da cartola, que basicamente poderão pôr em causa a qualidade do teu artigo. 

Um artigo SEO quer-se visualmente apelativo

Torna o teu artigo mais apelativo. Utiliza imagens, fotos, infográficos, vídeos, … tudo o que achares que complementa ou ilustra a informação que estás a passar no teu texto.

Adicionar links num artigo para SEO é importante

A existência de links para o teu artigo nos teus meios de comunicação social, redes e sites institucionais é deveras importante. Quanto mais ligações para o teu artigo, mais os motores de busca, como o Google, o valorizarão e destacarão.

Quanto mais ligações a partir de sítios respeitados/fiáveis, mais poderoso é o efeito. Encoraja colegas a ligarem-se ao teu artigo e não te esqueças de fazer o mesmo por eles!

Introduzir Call-to-Action num artigo para SEO

Uma chamada à ação (CTA) é uma palavra ou frase que leva o leitor do teu artigo a tomar uma ação específica.

Com a chamada à acção certa, podes persuadir as pessoas que visitam o teu blog ou lêem o teu conteúdo a fazer algo específico, como por exemplo:

  • Comprar um produto
  • Fazer um download
  • Inscrever-se para um boletim informativo
  • Ler o resto de um artigo
  • Partilhar um conteúdo nas redes sociais, entre outros. 

Pegando no exemplo de artigo que falámos anteriormente As 10 melhores receitas para a batedeira modelo XYZ poderás, no teu artigo, convidar os teus leitores a visitarem a tua loja online a fim de comprarem o novo modelo de batedeira.

Conclusão

Se nunca antes escreveste um artigo SEO, poderás fazê-lo com estas instruções simples e assim melhorar substancialmente o posicionamento do teu blog nas pesquisas em motores de busca. 

Escreve para os teus potenciais clientes. Escreve artigos de valor acima de tudo. E com a ajuda desta técnicas de escrita de artigos SEO chega mais longe e a mais clientes. 

Segue-me no Instagram @business_mais para te manteres a par das novidades.

Tens algo que queiras partilhar a respeito desta temática?

Diz-me, deixando um comentário em baixo!

0